Minicurso V

Arte, Tecnologia e Inovação em Sgt Pepper

Em 1º de junho de 2017, comemoram-se os 50 anos de lançamento do LP Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles. Marco da carreira dos Fab Four e apontado como um dos primeiros discos conceituais, Pepper surge num momento em que os Beatles, esgotados com a estafante rotina das turnês, abandonam os palcos e se tornam uma banda cuja arte ficaria inextricavelmente ligada à tecnologia do estúdio de gravação. Se em 1963 eles haviam gravado seu álbum de estreia, Please Please Me, em uma única sessão que durou aproximadamente doze horas, Sgt Pepper consumiu quase seis meses para ser finalizado, entre novembro de 1966 e maio de 1967.

Foi com Pepper que os Beatles subverteram a lógica segundo a qual um disco é o registro da execução dos músicos dentro do estúdio: com carte blanche da EMI, e tendo como produtor o maestro George Martin, os Beatles utilizam o próprio estúdio como instrumento e abusam dos timbres e das experimentações, que incluíam trechos gravados de trás para frente, colagens dadaístas, inserção de ruídos, múltiplos overdubs, e mesmo brincadeiras com o próprio suporte de gravação, o vinil (na “faixa”, “Sgt Pepper inner groove”).

Ao final, produzem uma nova noção do que seria, afinal, o disco: não mais o registro da execução dos músicos, mas uma música que, de tão manipulada em estúdio, não mais poderia ser reproduzida ao vivo (uma noção que inspiraria outros álbuns clássicos da Música Popular, como Dark Side of the Moon, do Pink Floyd). Além dessa impactante inovação, Sgt Pepper também é apontado, ao lado de Freak Out (Frank Zappa, 1966) e de Pet Sounds (Beach Boys, 1966), como um dos primeiros “discos conceituais”: LPs cujas faixas estariam tematicamente ligadas umas às outras, formando um todo coerente, em oposição aos discos lançados até então, que traziam uma ou duas faixas de trabalho (singles), seguidas por diversas outras faixas sem conexão temática entre si. Independentemente de haver ou não um fio condutor temático em Pepper – que seria, para alguns, uma caleidoscópica alegoria da identidade inglesa – o certo é que se trata de um dos discos mais inspirados e inspiradores da Música Popular ocidental. No show da Banda do Sargento Pimenta, os Beatles colocam sua arte (“with a little help from technology”) para funcionar, mesclando guitarras elétricas e metais de uma banda militar (“Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band”); recrutando uma big band de jazz para falar, com bom humor, sobre a velhice (“When I’m 64”); trazendo a pena literária de Lewis Caroll à letra de “Lucy in the Sky with Diamonds”; utilizando os sons plangentes de um quarteto de cordas e de harpa para emprestar lirismo à história de uma adolescente que foge por amor (“She’s leaving home”); esbanjando ironia no título de “Good Morning, Good Morning”, em que se descreve a esmagadora rotina da working-class em uma típica cidade do Norte da Inglaterra; fazendo-nos cúmplices das investidas amorosas do eu lírico (“Lovely Rita”); levando-nos ao picadeiro de um espetáculo circense da Era Vitoriana (“Being for the Benefit of Mr Kite”); ou nos arrebatando no turbilhão orquestral de “A Day in the Life”. Nesta apresentação, parto de informações sobre o contexto social e histórico em que Sgt Pepper foi produzido e comento o seu Making Of para, então, convidar a plateia a redescobrir essa obra-prima, 50 anos depois, por meio da audição do disco e da análise de seus elementos lítero-musicais e gráficos.

Vagas: 80          Duração: 3h          Tipo de sala a ser utilizada: Sala de aula 3

Pre-requisitos para os participantes: Não há pré-requisito

Público alvo: Pessoas com interesse pela História da Música Popular, em particular pelos Beatles, e pelas conexões entre Música Popular e Tecnologia.

Ministrante: Lauro Wanderley Meller

Pesquisador de Música Popular, com estágio pós-doutoral no Institute of Popular Music da Universidade de Liverpool, Reino Unido. Membro da IASPM (International Association for the Study of Popular Music) e da ISMMS (International Society for Metal Music Studies), e autor dos livros Poetas ou Cancionistas? Uma discussão sobre Música Popular e Poesia Literária e Iron Maiden: História. Literatura. Cinema (no prelo).

Event Timeslots (1)

Segunda-Feira
-
Arte, Tecnologia e Inovação em Sgt Pepper
Lauro Wanderley Meller